sexta-feira, 16 de junho de 2017

Estudos a carvão - #1







Alguns dos últimos estudos de retrato a carvão que tenho praticado. Três tipos diferentes de papel, e diferentes métodos de utilização do carvão.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Estudo - Davi


Estudo da cabeça de Davi. Grafite sobre papel.

sexta-feira, 17 de março de 2017

terça-feira, 7 de março de 2017

Afresco #4 - Cabeças e seus processos diversos (cont.)

                       - Homenagem a Voltaire - 





Afresco #3 - Cabeças e seus processos diversos (cont.)

- Claudius Maximus -




Um exemplo de como comecei a adaptar o método do papel de transporte furado, me limitando a delimitar apenas as partes mais importantes e preenchendo todo o resto de uma maneira uniforme para evitar possíveis brechas na pintura.

Afresco #2 - Cabeças e seus processos diversos (cont.)

 - Homenagem à Chimamanda Ngozi Adichie -




Estudos preliminares - grafite, tempera de caseína, grafite (tamanho 1x1)



Uma das figuras centrais do meu mural. Neste retrato, na busca de uma maior fidelidade ao desenho, utilizei o crayon como método de transferência.
Infelizmente ela acabou sofrendo com a minha falta de técnica e experiência. Durante todo o trabalho eu utilizei bastante o branco de titanio nas misturas de cor, sempre notando que as sombras e os escuros em geral ficavam mais escuros do que eu gostaria. Numa tentativa de corrigir este defeito no rosto dela, que não poderia ser escuro demais, acabei tornando-o "azul" ao tentar clarear com tons mais esbranquicados de pele.

A propósito, s
e não estiverem notando semelhança, é por que não foi minha intenção fazer um retrato fiel, apenas usei-a como base para a figura. 

Afresco #1 - Cabeças e seus processos diversos

Muito tempo se passou durante a pintura do mural. No total foram 6 meses, primeiro com jornadas mais espaçadas, e depois mais apertadas. Como foi a minha primeira experiência, naturalmente fui fazendo adaptações ao processo que tinha me acostumado a fazer durante o curso, e no final o método que utilizei acabou sendo totalmente diferente do inicial.

Experimentei com papel de transporte furado, crayon e incisão. Todos possuem suas vantagens e desvantagens, mas pessoalmente achei que o melhor é o de incisão. Devo muito ao colega Rafael Bteshe por compartilhar suas experiências do seu mural. Se não fossem suas dicas preciosas ao inicio da minha pintura, teria tido muito mais dificuldade em concluí-la.

Como tive muito mais tempo no inicio para registrar as etapas, possuo mais imagens do primeiro método do que dos últimos.

-  Cabeça de Rafael -






O processo acaba se tornando um tanto lento quando se transfere apenas com pigmento através do papel de transporte furado. Para não perder o desenho, se torna muito importante o cuidado com o preenchimento da figura sem romper os limites da marcação original, o que com o tempo contado gera um estresse adicional. É muito facil deixar de pintar áreas por acaso dessa maneira, já que muitas vezes são invisíveis enquanto a massa ainda está fresca. Só no dia seguinte poderá ser visto onde ficou faltando adicionar tinta, o que infelizmente não pode ser corrigido senão com tempera.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

A saga chega ao fim.


Ao long desta e da próxima semana colocarei mais fotos do processo desta grande jornada que foi realizar este mural. Durante os últimos seis meses estive exclusivamente dedicado a finalizar este projeto final do curso que começou a nada menos do que 3 anos atrás.

Foi uma experiência muito interessante. Talvez só consiga ter a dimensão daquilo que aprendi daqui a algum tempo. Obrigado a todos que ajudaram ao longo do tempo, assistentes, coordenadores de curso, amigos e parentes.

No final das contas, ficou melhor do que eu imaginei, mas pior do que eu gostaria.